SPL7 • Saúde Digital na Saúde Pública

A saúde digital surgiu como uma força transformadora no domínio da saúde pública, remodelando a forma como os cuidados de saúde são prestados, monitorizados e geridos. Esta convergência de tecnologia e dos cuidados de saúde tem o potencial de melhorar significativamente os resultados no domínio da saúde, agilizar os cuidados prestados aos doentes e simplificar as intervenções no domínio da saúde pública. Um dos aspetos fundamentais da saúde digital na saúde pública é a utilização de registos de saúde eletrónicos e de sistemas de informação sobre saúde. 

Os sistemas de registo de dados eletrónicos permitem aos prestadores de cuidados de saúde armazenar e aceder de forma segura aos dados dos doentes, facilitando as trocas de informação entre diferentes entidades de cuidados de saúde. Esta interoperabilidade melhora a coordenação dos cuidados de saúde, reduz os erros médicos e apoia a tomada de decisões baseadas em factos. Os serviços de telemedicina ganharam destaque, especialmente na sequência da pandemia da COVID-19. Estas soluções digitais de saúde permitem a realização de consultas à distância, a monitorização de doenças crónicas e a prestação de serviços de saúde em zonas remotas. A telemedicina não só melhora a acessibilidade, como também reduz os custos dos cuidados de saúde e os encargos relacionados com as deslocações dos doentes.

As aplicações de saúde móvel (mHealth) capacitaram as pessoas a tomar conta da sua saúde. Estas aplicações têm funcionalidades que permitem rastrear sinais vitais, gerir medicações e promover comportamentos saudáveis. As intervenções de saúde móvel são particularmente eficazes nos cuidados de saúde preventivos, permitindo a deteção precoce de problemas de saúde e incentivando a mudanças no estilo de vida. A análise de grandes volumes de dados (Big Data) e a inteligência artificial (IA) estão a revolucionar a vigilância das doenças e a epidemiologia. 

Ao analisar vastos conjuntos de dados de várias fontes, a IA pode identificar surtos de doenças, seguir tendências e prever ameaças à saúde pública. Esta abordagem permite intervenções de saúde pública mais proactivas e direcionadas. Os dispositivos vestíveis (wearables), como os relógios inteligentes, permitem a monitorização em tempo real dos parâmetros de saúde. Fornecem aos indivíduos informações valiosas sobre a saúde e permitem que os prestadores de cuidados de saúde acompanhem remotamente a evolução dos pacientes e intervenham quando necessário. Os wearables desempenham um papel crucial na gestão de doenças crónicas e na promoção do bem-estar geral. As campanhas e intervenções no domínio da saúde pública também se tornaram digitais. 

As redes sociais e as plataformas online são utilizadas para divulgar informações sobre saúde, aumentar a conscientização sobre as questões de saúde pública e envolver as comunidades em atividades de promoção da saúde. Estes canais digitais facilitam a comunicação e o alcance. A medicina de precisão, possibilitada pela genómica e por dados de saúde personalizados, é outra face da saúde digital na saúde pública. 

A adaptação dos planos de tratamento e das intervenções com base na composição genética de um indivíduo permite cuidados mais eficazes e direcionados, reduzindo os efeitos adversos e melhorando os resultados. Apesar dos inúmeros benefícios da saúde digital na saúde pública, existem desafios. Garantir a segurança e a privacidade dos dados é fundamental para criar confiança e proteger informações de saúde sensíveis. Além disso, continua a ser prioritário minimizar o fosso digital para garantir um acesso equitativo às ferramentas e serviços de saúde digital.

Concluindo, a saúde digital está a revolucionar a saúde pública, melhorando a acessibilidade, a eficiência e a eficácia na gestão dos cuidados de saúde. A integração da tecnologia nas intervenções de saúde pública, desde os registos de saúde eletrónicos a serviços de telemedicina e análises através de IA, está a transformar os cuidados de saúde tal como os conhecemos. A adoção de soluções de saúde digital é essencial para fazer avançar os objetivos de saúde pública, reduzir as desigualdades e melhorar o bem-estar geral das comunidades em todo o mundo.

31 de maio | 11h30-13h00 | Coordenador: Ricardo Baptista Leite

Scroll to Top
×